Loading...

sexta-feira, 25 de março de 2011

ΕΛΕΥΘΕΡΙΑ

Bem, acho que não há melhor maneira de iniciar este blog do que falando, antes de qualquer coisa, sobre alguns conceitos básicos.
O primeiro deles é ΕΛΕΥΘΕΡΙΑ, a liberdade. É muito comum se ouvir falar sobre liberdade nos dias de hoje. Liberdade religiosa, liberdade de expressão, e por aí vai. Mas para os helenos a liberdade tem uma conotação muito mais profunda do que esta falsa liberdade cheia de superficialidades e interesses egocêntricos que vemos hoje. É muito simples dizer: - Eu sou livre! - na hora de impor a sua vontade ou de lutar por um suposto direito. Mas o que não nos damos conta é que esta liberdade é recheada de amarras sócio-culturais, políticas e, no nosso país, dogmas judaico-cristãos.
Dentro da fé helênica a ΕΛΕΥΘΕΡΙΑ (eleuftheria) é simplesmente, porém não menos complexa por isso, o estado de EXISTIR, aspecto este que é inerente ao universo (Kόσμος) e à vida (βίος). Para a fé helênica a ελευθερία funciona como uma “lei natural”, e absolutamente tudo está sujeito a se submeter a esta lei e suas conseqüências quando rompida.
A máxima de Aleister Crowley que diz: “Faz o que tu queres. Há de ser o todo da lei” foi certamente inspirada no conceito da ελευθερία e expressa bem o que ela significa. No entanto, não podemos esquecer que tudo também está interligado, como em uma grande teia, e cada ação, tem uma reação. A ελευθερία, por ser uma lei natural, não é diferente de nenhuma lei da física, incluindo a da causa e efeito.
A intolerância religiosa é um mal que infelizmente é mundialmente e constantemente permeado, e é motivo para os extremistas declararem guerra.
Outro conceito importante da fé helênica é a Πολυμορφια, ou seja, a diversidade. É importante notarmos que a diversidade (polymorphia) é intrínseca ao Kόσμος, portanto está presente na Natureza e é aspecto inerente da λόγος, que segundo Heráclito, é a nossa capacidade de racionalização.
Falei de todos estes conceitos apenas para iniciar o meu blog com uma defesa rasa, porém necessária, dos apedrejamentos vindos dos extremistas ou conservadores, pois neste blog falarei sobre as minhas experiências e idiossincrasias sobre bruxaria e as práticas da mesma na Polis grega.
Bruxaria (e lá vou eu com mais um conceito), como o próprio nome sugere etimologicamente – do latim: plus = mais; scio= saber – é a Arte dos sábios, e informação nunca é demais, assim como deixa claro que um bruxo não é um feiticeiro que sai por aí lançando maldições e maus agouros, ou costurando bocas de sapo com nomes de pessoas, mas sim alguém que busca uma vida permeada pela sabedoria e enriquecida com o legado deixado por nossos ancestrais. E quando falo de ancestralidade, não me refiro somente a uma linhagem hereditária sanguínea, mas sim da ancestralidade humana, independente de etnias.
Deixo aqui o meu bem-vindo e fico na esperança de que possamos juntos ter momentos cheios de sabedoria e bênçãos dos Antigos.
ρρωσο!

Nenhum comentário:

Postar um comentário